logo


Início
Emoção marca inauguração da Praça Bety Orsini PDF Imprimir E-mail

 

Espaço homenageia jornalista e cronista que fez de Niterói sua inspiração

praca-bo

10/03/2017 - Sete meses após a sua morte, a jornalista e cronista Bety Orsini volta ao dia a dia de Niterói: hoje (09/03) pela manhã, o seu nome passou a batizar a mais nova praça da cidade. Ao longo de toda a cerimônia de inauguração, a emoção dominou o público de parentes, amigos e admiradores que vieram conhecer o espaço de mil metros quadrados cravado no coração de Niterói, cidade que foi fonte de inspiração permanente para Bety.


Apaixonada pela natureza, a jornalista com certeza aprovaria a escolha da praça que leva o seu nome: situada na Rua Visconde de Sepetiba, ela fica de frente para o belo Parque das Águas, cartão-postal niteroiense que passa no momento por grande reforma a fim de ser devolvido ao circuito turístico da cidade. Ao entregar o novo local de lazer da cidade, o prefeito da vidade explicou os motivos da homenagem à consagrada jornalista, que brilhou nas redações de O Fluminense, Jornal do Brasil e O Globo:

“Bety sempre transmitiu uma mensagem em seus textos e no convívio com amigos de coisas positivas e boas. E tinha uma capacidade extraordinária de retratar o cotidiano de forma leve. Pessoas como Betyfazem falta no dia de hoje. Que com esta homenagem ela se perpetue além do que deixou escrito. Bety nos proporcionava com suas crônicas momentos de alegria e de manifesto amor a Niterói, por cada canto, enseada e prédio histórico. Esta praça tem tudo a ver com ela.” explicou o prefeito.

Por sinal, há dois dias, ao saber da praça a ser inaugurada, a escritora Rosa Amanda Strausz escreveu em sua página no Facebook: "Que legal! Seja lá onde estiver, acho que Bety vai adorar ter virado pracinha - um lugar pra gente sentar e conversar, coisas que ela gostava tanto de fazer."

Aos 90 anos de idade, a mãe de Bety e principal personagem das crônicas que escrevia aos sábados para O Globo-Niterói. Maria AméliaOrsini participou da inauguração e se emocionou com a homenagem, destacando que nunca imaginaria que algo desse porte pudesse acontecer. “Só tenho a agradecer à prefeitura, porque ela não nasceu em Niterói, mas era a cidade que amava e morava desde a infância. Tem valor pela homenagem e pela lembrança dela que vai ficar sempre aqui” falou.

O médico Marco Orsini, filho da escritora, revelou que pretende levar os filhos João (5 anos) e Bento (4) para mostrar a praça e reinterar para eles a importância que a avó teve para o jornalismo e na vida de tantas pessoas. “Se eu tiver que dizer uma qualidade da minha mãe, eu direi: caridosa. Suas memórias, que já estavam eternizadas nos livros e nas colunas de jornais, agora estarão na praça. Aqui é uma marca do legado que deixou, do que escrevia e que transformava a vida de muitos, E, sim, minha mãe era uma apaixonada por Niterói”, contou Marco.

  Manhã de abraçar amigos e recordar memórias de Bety Foi uma manhã de muitos reencontros e lembranças. Colegas de profissão que por mais de 35 anos trabalharam ao lado ou apenas admiravam o talento da jornalista foram unânimes em dizer que a Prefeitura da cidade não poderia ter escolhido lugar melhor para a homenagem, já que, em seus textos, as praças, locais abertos e recantos pitorescos da cidade eram motivo de inspiração.

“Muitas vezes fui com ela às praças em busca de personagens e inspiração. Ela era única com sua capacidade de transformar o cotidiano das pessoas. Linda homenagem porque as praças são a cara dela”, disse emocionada Jane Duarte,  jornalista e amiga de Bety por 40 anos.  ao longo dos quais trabalharam juntas em veículos como O Fluminense, O Globo, e como sua assistente na Rádio Globo, no programa "Correio Sentimental Moderno".

  Virgínia Honse, editora assistente do Globo Niterói, lembra que sempre esperava os textos dela com ansiedade. “Tínhamos uma relação de amizade, mas também de admiração da editora para com sua colunista. Ela falava de uma forma carinhosa que nos deixava quase sem fôlego”, comentou Virginia, também moradora de Niterói..

  Praça fica ao lado do primeiro reservatório de água do século passado As obras da praça, que tem 1.000 metros quadrados, fazem parte das intervenções no Parque das Águas, que integram o Projeto de Desenvolvimento Urbano e Inclusão Social de Niterói (PRODUIS), com recursos financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Todo o investimento na obra do parque é de R$ 7,8 milhões. Em abril, vão começar obras no imóvel que abriga hoje a Corregedoria da Guarda Municipal, que fica em frente à praça e será levada para a Cidade da Ordem Pública, no Barreto. No local, será instalada a sede do Parque das Águas. As intervenções no belo recanto incluem a construção de um elevador de acesso para a população em geral, com atenção para cadeirantes e portadores de necessidades especiais, criação de um espaço de lazer e de convívio e reforma de um auditório. O parque também será um local de treinamento para a Defesa Civil e os voluntários dos Núcleos de Defesa Civil nas Comunidades (Nudecs). Também estão previstas a recuperação da área verde, a restauração de jardins, caminhos, trilhas e a melhoria da drenagem; além do planejamento do programa de educação ambiental, que terá como tema a água. Dentre os objetivos da revitalização, destaca-se ainda a realização de eventos culturais, como shows. “Aqui era uma praça subaproveitada e que hoje faz parte de uma obra superimportante, num contexto global. Foi tudo pensado criteriosamente. Para quem for visitar o Parque das Águas, a Praça Bety Orsini será como que sua porta de entrada. E, do alto do Parque, será possível admirar a paginação bonita que foi dada a esse espaço. Temos certeza de que os turistas e moradores terão uma boa recordação do lugar. Por isso, foi perfeita a escolha do prefeito para homenagear a Bety”, opinou Axel Grael, secretário Executivo da prefeitura.

alt

 

 

Prefeitura Municipal de Niterói
Rua Visconde de Sepetiba, 987 - Centro - Niterói - RJ