Começa a vacinação contra a gripe em Niterói Imprimir

Gripe

11/04/2019 – Começou, nesta quinta-feira (11), a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe em Niterói. A Fundação Municipal de Saúde disponibiliza, até o dia 31 de maio, 54 salas de vacina nas Policlínicas Regionais, Unidades Básicas de Saúde e módulos do Programa Médico de Família, de segunda a sexta, das 8h às 17h, para imunizar a população alvo. O dia D de mobilização está marcado para sábado, 4 de maio, e cerca de 500 profissionais estarão aplicando as doses nessas unidades. A meta é vacinar aproximadamente 176 mil pessoas.

 

Na Policlínica Sergio Arouca, no Vital Brazil, a movimentação no primeiro dia de imunização foi intensa. Cerca de 500 pessoas receberam a vacina até às 15h. A aposentada Rita Maria Ferreira, de 88 anos, foi uma delas e destacou a importância da vacinação.

“Quando tomo a vacina me sinto mais protegida, quase não fico gripada. É a melhor coisa a se fazer, pois protegemos a nós e as pessoas ao nosso redor”, finalizou a aposentada, que estava acompanhada do seu marido, Amaucir Ferreira, de 90 anos, que também recebeu a imunização.

O público-alvo da campanha é formado por pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e os funcionários do sistema prisional. Portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem levar a prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina.

A secretária municipal de Saúde, Maria Célia Vasconcellos, convoca a população para receber a imunização.

“É muito importante que as pessoas que fazem parte dos grupos procurem uma unidade para receber a dose. A imunização reduz o número de internações, complicações e mortes em decorrência de infecções causadas pelos vírus da doença”, informa a secretária, esclarecendo que a meta da Fundação Municipal de Saúde (FMS) é imunizar pelo menos 90% de cada grupo.

Documentos – Para receber a dose, as pessoas que fazem parte dos grupos-alvo da campanha devem comparecer às unidades de saúde levando carteira de identidade e outros comprovantes, de acordo com os grupos a que pertencem: trabalhadores da Saúde ou da Educação devem apresentar identidade profissional ou crachá; crianças de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias, o cartão de vacinação; pessoas com 60 anos ou mais, a identidade; pessoas com doenças crônicas (a partir de 5 anos de idade), a solicitação médica, com indicação da doença; as puérperas, a certidão de nascimento do bebê ou cartão do pré-natal ou cartão devacinação do bebê; e as gestantes só precisam declarar que estão grávidas.


A doença – A Influenza, comumente conhecida como gripe, é uma doença viral febril, aguda, geralmente benigna e autolimitada. Frequentemente é caracterizada por início abrupto dos sintomas, que são predominantemente sistêmicos, incluindo febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia e anorexia, assim como sintomas respiratórios com tosse seca, dor de garganta e coriza. A infecção geralmente dura uma semana e com os sintomas sistêmicos persistindo por alguns dias, sendo a febre o mais importante.

Os vírus influenza são transmitidos facilmente por aerossóis produzidos por pessoas infectadas ao tossir ou espirrar. Existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. O vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias.

Algumas pessoas, como idosos, crianças novas, gestantes e pessoas com alguma comorbidade possuem um risco maior de desenvolver complicações devido à influenza. A vacinação é a intervenção mais importante na redução do impacto da influenza.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, estima-se que a influenza acomete 5% a 10% dos adultos e 20% a 30% das crianças, causando de 3 milhões a 5 milhões de casos graves e 250 mil a 500 mil mortes todos os anos.


Salas de vacina – Policlínicas Dr. Carlos Antônio da Silva - Rua Jansen de Mello s/nº, São Lourenço; Dr. Sérgio Arouca, Praça Vital Brazil s/nº – Santa Rosa; Dr. Guilherme Taylor March - Rua Desembargador Lima Castro, 238, Fonseca; Dr. Francisco da Cruz Nunes - Rua Ver. Armando Ferreira, 30, Largo da Batalha; Assistente Social Maria Aparecida da Costa - Est. Engenho do Mato s/nº, Itaipu; Dr. Renato Silva - Av. João Brasil, s/nº- Engenhoca, Rua Jornalista Sardo Filho, 196, Ilha da Conceição; Av. Carlos Ermelindo Marins s/nº, Jurujuba; Av. Colônia s/nº, Caramujo; Professor Barros Terra - Rua Alcebíades Pinto, s/nº, Cantagalo; e Dr. João da Silva Vizella, Rua Luiz Palmier, 726 – Barreto e Policlínica de Piratininga, Rua Marcolino Gomes Candau, 111.

Unidades Básicas de Saúde (USB) do Centro, Morro do Estado, Santa Bárbara, Engenhoca, Baldeador.

Programa Médico de Família (PMF) e Clínica Comunitária da Família (CCF): Alarico, Atalaia, Bernardino, Cafubá I, Cafuba II, cafuba III, Cantagalo, Caramujo, Colônia, Engenho, Grota I, Grota II, Ititioca, Jonathas Botelho, Jurujuba, Leopoldina, Maceió, Maravista, Marítimos, Maruí, Matapaca, Nova Brasília, Palácio, Preventório I, Preventório II, Souza Soares, Viçoso, Vila Ipiranga,  Viradouro, Vital Brasil e CCF Badu, Ilha da Conceição, Teixeira de Freitas e Várzea das Moças, Morro do Céu e Cavalão.