logo


Início
Projeto da CLIN recolhe óleo de cozinha para transformar em sabão e biodiesel PDF Imprimir E-mail
Residências e estabelecimentos comerciais da cidade já doaram 148 mil litros


09/02/2017 - A rotina na cozinha da síndica Ana Lúcia Gomes de Mattos, 62 anos, mudou há cerca de três anos: toda vez que ela frita algum alimento, o óleo usado é coado e acondicionado em uma garrafa pet, e depois entregue à Companhia de Limpeza de Niterói (CLIN). O prédio dela é um dos 110 condomínios e estabelecimento comerciais que estão cadastrados na companhia e têm o seu óleo usado recolhido regularmente pela cooperativa Brilho Natural, parceira no projeto. O projeto ClinÓleo, lançado pela Prefeitura de Niterói em outubro de 2013, já arrecadou cerca de 148 mil litros do produto em três anos.

“Colocamos panfletos explicativos nas lixeiras e quadros de aviso do prédio e hoje todo o condomínio participa do projeto. Os moradores colocam o óleo usado em garrafas de vidro ou plástico ao lado da lixeira de cada andar e um funcionário recolhe. O líquido é despejado em uma bombona da CLIN, que a recolhe quando está cheia. O bacana é que amigos e familiares acabam separando o óleo em suas casas e nos entregando, e aos poucos vamos ajudando o meio ambiente”, conta Ana Lúcia, que é síndica do condomínio do edifício Miramar Suíte Service, no Centro da cidade.

O presidente da CLIN, Luiz Carlos Fróes Garcia, revela que o projeto será ampliado: a partir da segunda quinzena deste mês, representantes da CLIN e da cooperativa Brilho Natural, iniciarão uma ação educativa em diversos comércios da cidade para incentivar o cadastramento no programa.

“O óleo despejado irregularmente pelos munícipes aumenta significativamente a poluição e a degradação ambiental, além de ser um grande desperdício já que o resíduo pode, também, virar matéria-prima para outros produtos. O nosso objetivo é intensificar e ampliar o projeto para que cada vez mais munícipes participem”, destaca o presidente.


Preservação ambiental – Segundo a bióloga Sílvia Pires, responsável pelo setor de reciclagem da CLIN, o óleo usado pode ser utilizado na produção de resina para tinta, sabão, detergente, glicerina, biodiesel e até como aditivo para ração de animais. A cooperativa parceira da Prefeitura utiliza parte dos resíduos na produção produtos de limpeza e envia outra parte para a empresa Cesbra, onde é transformado em biodiesel.

“Dados mostram que mais de 200 milhões de litros de óleo de fritura são despejados mensalmente nas pias das cozinhas.  Quando o produto é descartado na pia, ele pode ficar retido na tubulação de esgoto em forma de gordura, dificultando a passagem dos resíduos, levando à entupimentos, transbordamentos e mau funcionamento das estações de tratamento. O desentupimento representa até 45% do custo de saneamento básico”, esclarece a especialista.

Ela explica que o óleo descartado no lixo comum pode contaminar o solo, prejudicando plantas e micro-organismos que fazem a deterioração de compostos orgânicos que se tornam nutrientes para o solo. Diretamente em galerias pluviais ou em rios e lagos, o óleo fica acima da água, impedindo a entrada de luz e oxigênio, prejudicando várias espécies. É também por meio da infiltração no solo que esse óleo de cozinha polui os lençóis freáticos.

Reciclar, portanto, é a maneira mais adequada de descartar o óleo de cozinha depois de utilizado. Empresas e grandes condomínios podem se cadastrar no site da CLIN (http://www.clin.rj.gov.br). Já os moradores de residências podem levar o produto, acondicionado em uma garrafa plástica com tampa, em um dos pontos de entrega voluntária disponibilizados pela CLIN. O ato garante ao participante um desconto na conta de luz, fruto de uma parceria da companha com a concessionária Enel.


Pontos de entrega voluntária que dão desconto na conta de luz

•        Icaraí: Rua Irineu Marinho, nº 466, esquina com Avenida Ary Parreiras

•        Largo da Batalha: Rua Leonor da Glória, s/nº

•        Engenhoca: Rua João Brasil, s/nº, em frente à Policlínica.

•        Cafubá: Avenida Raul de Oliveira Rodrigues (Antiga Avenida 7, Quadra 172 S/N°

•        Campo Belo:  Rua O, S/Nº (ao lado da estação de esgoto)

•        Barreto: Horto Municipal Palmir Silva

Para mais informações ou para se cadastrar no projeto, entre em contato com a CLIN pelo 0800 022 2175 ou pelo site www.clin.rj.gov.br.

Coleta seletiva – Atualmente, toda a cidade de Niterói é atendida pelo programa de coleta seletiva da CLIN, que consiste em recolher os resíduos sólidos recicláveis (papel, plástico, vidro e metal) dando uma destinação final adequada, sem causar danos ambientais. O sistema de recolhimento seletivo porta a porta é realizado em toda a cidade de forma setorizada, de acordo com os bairros e demanda de residências cadastradas.

O cadastro pode ser feito por telefone ou internet. Após feito cadastro na empresa, através do 0800-022-2175 ou pelo site da Clin, o munícipe recebe todas as instruções sobre o processo de separação seletiva dos resíduos, além de material informativo. Também existem os postos de entrega voluntária, distribuídos em vários bairros da cidade, em pontos estratégico, permitindo que aqueles não cadastrados também participem do projeto.

Vale ressaltar, que todo resíduo coletado, seletivamente, em Niterói é doado para cooperativas de catadores, dando assim a oportunidade dos cidadãos auxiliarem na preservação ambiental e na inserção social desses trabalhadores.

A companhia também realiza a campanha ambiental “Recicla Niterói", uma ação itinerante para estimular ainda mais junto a população o descarte correto de resíduos e a coleta seletiva no município. A campanha teve início em novembro de 2015 e já passou pelos bairros Icaraí, Centro, Fonseca, Barreto, Ingá e São Francisco, arrecadando cerca de 1,5 tonelada de resíduos recicláveis. A CLIN estará com uma tenda na 13 a 17 de fevereiro no Largo da Batalha.
alt
 

Prefeitura Municipal de Niterói
Rua Visconde de Sepetiba, 987 - Centro - Niterói - RJ