logo

logo logo logo Colab

SEPLAG – UGP/CAF

Licitações Sexec

Licitações SEMUG


Início
Niterói está entre 10 melhores cidades do país em ranking de saneamento PDF Imprimir E-mail

23/07/2019 - Niterói saltou da 19º para 10º posição em saneamento entre as 100 maiores cidades brasileiras e se consolida na primeira colocação entre os municípios do Estado do Rio de Janeiro. Os números são do ranking 2019 do Instituto Trata Brasil, que foram divulgados nesta terça-feira (23). O estudo foi elaborado com base nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) – ano base 2017. Os dados são anunciados todo ano pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, que reúne todas as informações fornecidas pelas empresas prestadoras dos serviços de água e esgoto dessas cidades.


 

Este ano, o ranking do saneamento básico aborda os novos indicadores de água e esgoto, além de dados sobre perdas de água, investimentos, operadoras e tarifa média das 100 maiores cidades do país. Nesta edição, há informações sobre a variação positiva e negativa dos 20 melhores e 10 piores municípios.

A Prefeitura de Niterói e a Águas de Niterói, concessionária responsável pelo saneamento e abastecimento do município, estão realizando investimentos em torno de R$ 150 milhões na construção de novas estações de tratamento de esgoto, com o objetivo a alcançar 100% no tratamento e coleta do resíduo.

“Nos últimos cinco anos, ampliamos investimentos em saneamento, aumentando o escopo da Parceria Público Privada da gestão municipal no setor e antecipamos metas previstas para serem cumpridas apenas em 2023”, enfatiza o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves. “Graças a esse esforço conjunto, entregamos novas estações de tratamento de esgoto, como a ETE Sapê, melhoramos ainda mais a performance de outras ETEs e, com o início da operação da ETE Badu vamos chegar a cobertura de todas as regiões com a rede coletora de tratamento de esgotos”.

O prefeito citou a necessidade de participação dos cidadãos ao fazer a ligação de suas residências, prédios e condomínios à rede coletora. “Muitas vezes a falta de consciência do cidadão acaba por contribuir para o despejo irregular de esgoto em galerias de águas pluviais. Niterói é um bom exemplo no setor de saneamento no Rio e no Brasil, e vamos avançar cada vez mais”, acrescentou.

 

Águas de Niterói - Quando a concessionária assumiu os serviços de saneamento básico no município, em 1999, a água só chegava a 72% da população. Em apenas três anos à frente dos serviços, a concessionária passou a abastecer toda a população com o mesmo volume de água. Na parte de coleta e tratamento de esgoto, a cidade saltou de 35% para 94,81%. Essas conquistas são resultado de boa gestão e investimentos.

A concessionária atende mais de 94% dos habitantes com coleta e tratamento de esgoto. A cidade acaba de ganhar a nona Estação de Tratamento de Esgoto, a ETE Sapê. Ainda para este ano, a Águas de Niterói concluirá a obra de duplicação da ETE Camboinhas e iniciará a construção da ETE Badu, que será a 10ª Estação do município e completará o sistema de esgotamento da cidade.

Além disso, com o programa de retirada de línguas negras nas praias de Boa Viagem, Flechas e Icaraí, logo no início da concessão, a concessionária reverteu os índices negativos de balneabilidade, que estavam impróprios há mais de 15 anos.

Niterói se destaca pelo combate às perdas de água por meio de ações como cadastro, micromedição, automação, combate a furtos de água, agilidade no reparo de vazamentos, substituição de rede, padronização das ligações, além de programas socioambientais na região. Desta forma, o índice é comparado a índices internacionais.

 

Plano Municipal de Saneamento - A Prefeitura de Niterói está elaborando o Plano Municipal de Saneamento Ambiental (PSA). O objetivo do plano é estabelecer prioridades e metas a serem cumpridas futuramente na cidade, no que tange ao saneamento ambiental.  A previsão de conclusão da primeira etapa é dezembro deste ano.

Segundo o secretário de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, Axel Grael, o Plano Municipal de Saneamento vai orientar os caminhos a serem adotados pela municipalidade para avançar na excelência dos serviços.

“Nosso trabalho não acaba quando atingirmos, por exemplo, os 100% de cobertura tratamento de esgoto. Este é o ponto de partida para podermos focar na despoluição de lagoas e rios que receberam dejetos sem tratamento durante anos. Apesar das conquistas no saneamento ambiental em Niterói, o PSA é fundamental”, afirmou Grael.

Com quatro frentes de atuação – abastecimento de água, coleta de esgoto, gestão de resíduos sólidos e drenagem – o planejamento dará ênfase, sobretudo, às considerações sobre drenagem dos rios, valões e lagoas da cidade. A ideia é, neste primeiro momento, cadastrar toda a área do primeiro distrito – Centro, Zona Sul e Zona Norte da cidade.

“Temos diferentes desafios pela frente. O Município já conta com políticas bem estabelecidas de distribuição de água, tratamento de esgoto e coleta de lixo. Temos 100% da cidade com abastecimento de água potável e estamos próximos de atingir a universalização do esgotamento sanitário. O próximo passo é dar maior atenção à drenagem dos rios e lagoas, que receberam dejetos sem tratamento por muito tempo”, disse a secretária municipal de Conservação e Serviços Públicos, Dayse Monassa, “O Plano também prevê ações de conscientização, uma vez que é necessário reduzir a quantidade de resíduos lançados nos rios”.

 

Prefeitura Municipal de Niterói
Rua Visconde de Sepetiba, 987 - Centro - Niterói - RJ