Centro de atenção psicossocial oferece atendimento para crianças e adolescentes em Niterói Imprimir

Capsi oferece atividades para diferentes tipos de transtornos mentais. Cerca de 300 pacientes são atendidos

02/03/2020 - “Essa é nossa segunda casa. Depois que conheci a unidade minha filha nunca mais foi internada”, esse é o relato de Lucineide, 35 anos, sobre o atendimento que sua filha M, de 17, recebe no Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil Monteiro Lobato (Capsi), em Santa Rosa. A unidade é voltada para crianças e adolescentes e oferece atividades para diferentes tipos de transtornos mentais.

Ainda segundo Lucineide, no local é onde eles se sentem à vontade, sem preconceitos, com muito acolhimento para as crianças. “Minha filha se sente tão segura aqui, que muitas vezes quando não acorda bem e mesmo não sendo dia de atividade, ela vem apenas para se sentar na recepção e volta para casa melhor. Aqui eu também me sinto confortável, porque é o local onde me entendem”, declara.

A diretora no Capsi, Erica Louredo, explica que o trabalho ocorre em articulação com toda a rede de Saúde e outras secretarias, o que qualifica o atendimento e o acesso aos dispositivos de saúde mental. Ela também conta que, além do atendimento individual, voltado para as necessidades de cada um, o dispositivo oferece atividades coletivas, como grupo de interação e integração, estimulação precoce, oficina de jogos, grupo de observação diagnóstica, grupo de convivência, Projeto Plantar, oficina de capoeira, entre outros. O Capsi também realiza atividades externas como visita aos museus, praças, atividades na praia e outros locais culturais.

Segundo Erica, é preciso garantir a promoção de vida, a inclusão de todos. “Nossas atividades promovem não só a inclusão da loucura, mas de todas as diferenças. Aqui falamos de tudo. Temos uma equipe muito cuidadosa e competente”, declara a diretora.

Adriana, 37 anos, mãe de R, 16, conta que o Capsi também oferece apoio para os pais. “Meu filho está aqui desde 2012, eu gosto muito da assistência oferecida a ele e das atividades para os pais, aqui somos ouvidos, nos ensinam como lidar com nossos filhos e nos apoiam”, conta.

O Capsi possui 300 usuários cadastrados e conta com uma equipe composta por médicos psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, terapeuta ocupacional, fonoaudióloga, acompanhantes domiciliares, farmacêutico, oficineiros, articulador de rede, coordenadora técnica, administrativos, supervisora, recepcionistas, auxiliar de serviços gerais e copeira.