Prefeito de Niterói participa de entrega dos cartões da Moeda Social Arariboia

Nesta quinta-feira (29), o prefeito de Niterói, Axel Grael, esteve no Clube Canto do Rio para acompanhar o último dia de entrega dos cartões da Moeda Social Arariboia para as novas famílias beneficiadas. Só no dia de hoje, cerca de 2,5 mil pessoas receberam os cartões. Após um ano e meio, o programa de transferência de renda permanente da Prefeitura de Niterói já injetou R$ 166,4 milhões na economia local.

Para Axel, o momento foi de muita felicidade, tanto das famílias que receberam como da equipe da Prefeitura, que trabalharam muito para que a entrega fosse possível.  

“As pessoas estão chegando aqui felizes para receber os cartões, pois sabem que isso vai ajudar muito a família de cada uma delas. E, para nós, é um momento muito feliz também entregar esses cartões. Por trás disso, há muito trabalho envolvido da equipe da Secretaria de Assistência Social para que a gente possa viabilizar essa entrega. Então, parabéns a todos da prefeitura e, acima de tudo, parabéns a Niterói por poder oferecer um programa social como esse que a gente está fazendo”, disse o prefeito.

O secretário de Assistência Social e Economia Solidária, Elton Teixeira, Niterói mais uma vez é vanguarda.

“Saber que esse recurso vai poder ajudar essas pessoas a terem uma vida melhor, uma vida com mais dignidade, não tem preço. A Moeda Social é o maior programa de transferência de renda do Estado do Rio de Janeiro e um dos maiores do Brasil. É mais uma vez Niterói servindo de exemplo”, explica o secretário.

No início de junho, o prefeito anunciou a ampliação do programa que vai passar a atingir mais de seis mil famílias, passando a contemplar quase 37 mil famílias. No total, são cerca de 92 mil pessoas beneficiadas. Por mês, a Prefeitura vai investir R$ 16,5 milhões que podem ser gastos em comércios e serviços.

Além disso, a partir do crédito de julho, as mais de 37 mil famílias já vão receber o benefício com o reajuste de quase 20%, aprovado pela Câmara de Vereadores. Com isso, as famílias passam a receber a partir de 293 arariboias, com o acréscimo de 106 arariboias para cada membro adicional da família (até 6 pessoas). O valor máximo, por família, pode chegar a 823 arariboias para família de 6 ou mais pessoas.  

Moradora do Cantagalo, Natália da Rocha, de 34 anos, está desempregada há quatro anos e não conteve a emoção de receber o benefício.

“Estou desempregada há quatro anos mais ou menos e está muito difícil de arrumar emprego. Eu moro com meu marido e meu filho mais novo e já passamos por muita dificuldade. O cartão vai me ajudar muito nas compras da casa e nos remédios que tenho que comprar também. Eu não via a hora de chegar o meu dia de receber essa ajuda!”, contou Natália.

Com muita dificuldade para andar depois de quebrar a perna, a idosa Sônia Maria, de 60 anos, estava no clube para retirar o cartão. Moradora do Sítio de Ferro, em Pendotiba, Dona Sônia foi retirar o benefício acompanhada da filha e da neta.

“Esse cartão vai ser tudo para mim! Meu marido também está doente e também está desempregado. A gente está passando por isso há muito tempo. Esse cartão vai me ajudar muito, demais!”, agradeceu.

Atualmente, são mais de cinco mil estabelecimentos comerciais cadastrados e aptos a aceitar a Moeda Arariboia pela venda de produtos e serviços.  As moedas sociais cumprem um papel fundamental no desenvolvimento das comunidades já que permitem a criação de um mercado complementar e oferecem a possibilidade de se produzir e consumir dentro de um bairro ou município.

Um levantamento mostra que os bairros onde a moeda foi mais utilizada foram: Centro (R$ 56 milhões), Fonseca (R$ 23 milhões) e Largo da Batalha (R$ 16 milhões). Outro dado importante é a forma que o benefício é gasto. Em primeiro lugar, alimentação, seguido de serviços e uso farmacêutico. Ao todo, já foram realizadas mais de 2,1 milhões de transações em arariboia.

Foto: Lucas Benevides

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo