Niterói sedia segunda edição do Congresso Brasileiro de Trilhas

Foi aberto nesta quarta-feira (20), no Caminho Niemeyer, o 2º Congresso Brasileiro de Trilhas, o maior deste porte já realizado deste porte na América Latina. O encontro, que reúne cerca de três mil pessoas, conta com a participação de organizações e movimentos sociais que atuam na preservação e conservação ambientais, bem como em iniciativas de turismo de base comunitária, além de profissionais ligados às instituições de ensino e pesquisa e está discutindo ainda propostas de uma gestão sustentável de trilhas com incentivo ao ecoturismo como forma de preservação. A abertura, que contou com a presença do prefeito Axel Grael, teve a apresentação dos jovens do Programa Aprendiz Musical.

O evento é organizado pela Associação Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, pela Prefeitura Municipal de Niterói e pela a Empresa de Lazer e Turismo (Neltur). A intenção é implementar as trilhas de longo curso de maneira ecologicamente sustentável e benéfica para a biodiversidade, sobretudo em relação às espécies ameaçadas de extinção. Durante o dia aconteceu também o 1º Seminário Técnico Científico da Rede Brasileira de Trilha

O prefeito Axel Grael reforçou que Niterói é uma cidade com vocação para a sustentabilidade.

“Comecei minha militância ambientalista no final da década de 70, aqui em Niterói, uma cidade que sempre teve um movimento ambientalista bastante ativo. Essa é uma cidade que fez a opção pela sustentabilidade. Temos 56% do nosso território protegido por unidades de conservação que estamos tratando com seriedade . Nós ainda vivemos aquela dicotomia como se fosse desenvolvimento para um lado e conservação para o outro, o que é um grande erro. Eu acho que a gente tem que trabalhar para reverter isso.Tenho participado de muitas conferências de Meio ambiente .Temos uma grande responsabilidade de proteger o que temos e o Brasil está nesse cenário. Temos que ter mais pessoas frequentando parques para preservarmos o nosso patrimônio natural. Niterói tem o maior investimento do País em soluções de sustentabilidade como o Parque Orla”, afirmou o prefeito.

O seminário inaugural teve como objetivo promover a harmonização de esforços entre iniciativas governamentais e não governamentais voltadas para a conservação da biodiversidade e revitalização de ecossistemas em trilhas de longo curso.

Dentre os temas discutidos estão como o Brasil, apesar de alguns exemplos, como na Trilha Transcarioca, onde está sendo feito a reintrodução e o monitoramento de algumas espécies da fauna (Parque Nacional da Tijuca) e a recuperação de áreas degradadas em vários trechos da trilha, o debate sobre como planejar e como monitorar a biodiversidade nas trilhas ainda é incipiente, o que justifica alocar esforços para promover avanços técnico-científicos sobre o tema.

O presidente da Niterói Empresa de Lazer e Turismo (Neltur), André Bento, ressalta que Niterói assume cada vez mais a vocação natural para o ecoturismo. Ele lembrou que Niterói foi um dos primeiros municípios do país a integrar a Rede Brasileira de Trilhas. Há uma trilha de longo curso que perpassa grande parte da cidade: a Rota Charles Darwin, criada em 2018, e que vai até Maricá, ao longo de 28km. A Rota Charles Darwin é uma experiência que refaz parte do caminho realizado pelo naturalista britânico Charles Darwin em sua passagem pelo Brasil no Século XIX, além de buscar integrar a beleza natural da cidade ao percurso, conectando unidades de conservação (PARNIT e PESET) e atrativos de grande relevância (MAC, Caminho Niemeyer, Ilha da Boa Viagem, entre outros).

“É um privilégio enorme receber o II Congresso Brasileiro de Trilhas aqui em Niterói. A cidade tem uma vocação nata para o ecoturismo. É uma das poucas cidades do Brasil que tem um guia de trilhas catalogado e uma trilha de longo percurso que passam por Niterói. Uma cidade que se apropriou da sustentabilidade. Então, para nós é muito importante mostrar Niterói, estar aqui discutindo diversos pontos com relação a esse segmento. Serão três dias de muito conteúdo e muitas discussões que a gente espera que se desdobrem em ações e políticas públicas. Estamos de braços abertos para receber todo mundo e convidamos todos os participantes a experimentarem e conhecerem os atrativos e as belezas de Niterói”, afirmou o presidente da Neltur, lembrando que serão cerca de 300 palestrantes e que o turismo está diretamente ligado às mudanças e questões climáticas.

O congresso tem representantes dos seguintes estados brasileiros: Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantins.

“Niterói se consolida cada vez mais como cidade sustentável e com políticas públicas consistentes voltadas para o meio ambiente. Vamos seguir em frente”, frisou o secretário de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, Rafael Robertson.

O presidente da Rede Brasileira de Trilhas Hugo Castro destacou a importância de Niterói sediar o evento.

“O Congresso tinha que acontecer em Niterói, que é um dos municípios que mais investe em políticas públicas de meio ambiente no estado e tem 56% de áreas protegidas e 45 trilhas sinalizadas. As trilhas são locais democráticos que ajudam a preservar o meio ambiente”, disse Castro.

O 2º Congresso Brasileiro de Trilhas contará com palestras, minicursos, oficinas técnicas para gestores e voluntários, fóruns para acordos institucionais e visitas técnicas em trilhas do Rio de Janeiro. Durante o evento haverá apresentação de casos de sucesso, com ênfase nos pilares fundamentais para o desenvolvimento e estruturação das Trilhas de Longo Curso, abordando temas como governança, sinalização padronizada, manejo de trilhas, capacitação, empreendedorismo, voluntariado, ecoturismo e turismo de base comunitária, lazer e interação com a Natureza. A programação pode ser acompanhada através do site
Programação: https://www.even3.com.br/2congressobrasileirodetrilhas/

Fórum de Gestores e Dirigentes de Unidades de Conservação

Organizado pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), o Fórum de Gestores e Dirigentes de Unidades de Conservação abriu as atividades do 2º Congresso Brasileiro de Trilhas com representantes de vários estados. O evento contou ainda com a presença do representante de uma Unidade de Conservação da Argentina, Frederico Granado, que contou sobre a experiência no país vizinho.

A secretária nacional de biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Rita Mesquita, representou a Ministra Marina Silva no Fórum, e destacou o papel dos gestores para cumprir a meta estipulada de desmatamento zero.

“Eu tenho muita expectativa com esse Fórum, com as experiências que vocês trazem dos Estados e tenho esperança de que a gente, juntos, consiga identificar as prioridades que nós temos hoje para continuar reforçando a formulação das políticas necessárias para que esse sistema de verdade funcione como todos nós queremos que ele funcione. É fundamental o entendimento da conexão entre esses territórios. Preciso reforçar o compromisso assumido pela atual gestão de desmatamento zero, o que não é trivial e ninguém nunca fez isso no mundo. Então, cada vez mais nós precisamos desenvolver uma integração de sistemas”, disse Rita.  

Fotos: Bruno Eduardo Alves

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo