Niterói apresenta projetos em evento na França sobre governos digitais

Os projetos da Prefeitura de Niterói na área de governos digitais foram apresentados, nesta semana, na convenção “Digital Society, Digital Cities”, em Bordeaux, na França. O prefeito Axel Grael, que viajou a convite do evento, levou as experiências do município na agenda e se reuniu com o prefeito e gestores da cidade europeia.

Eleita a cidade mais verde da França pelo jornal Le Parisien, Bordeaux passou por intensa transformação urbanística nos últimos anos e se tornou referência em mobilidade. Em uma posição estratégica entre norte e sul da Europa, a cidade adotou um Plano Estratégico de Mobilidade com incentivo ao uso de bicicletas, valorização do transporte público e linhas de VLT’s (Veículo Leve sobre Trilhos). Durante a passagem pela cidade francesa, o prefeito de Niterói, Axel Grael, e a secretária do Escritório de Gestão de Projetos (EGP), Katherine Azevedo, se reuniram com o prefeito Pierre Hurmic e a vice-prefeita Celine Papin. O grupo também fez uma visita ao Centro de Valorização de Resíduos e ao Centro de Monitoramento de Captação e Tratamento de Águas Pluviais de Bordeaux, que administra a drenagem de toda a cidade.

“Bordeaux é um lugar que, assim como Niterói, passou por uma grande transformação nos últimos anos e valoriza muito suas áreas verdes. A Prefeitura daqui vem apostando no seu plano de transição ecológica e social, com um trabalho muito emblemático que pode inspirar iniciativas semelhantes em nossa cidade. Também é sempre gratificante para nós falar de projetos como a importante Moeda Arariboia e o Parque Orla Piratininga, um projeto multipremiado e inovador de soluções baseadas na natureza que será inaugurado em novembro”, comentou Axel Grael, que também conheceu a Central Solar de Labarde. A unidade produz 76.800 MWh, o que é suficiente para suprir a demanda de energia de 34.600 habitantes e evita a emissão de 37.600 toneladas de CO2.

Os projetos de Niterói também foram discutidos no “Digital Society, Digital Cities”, que está reunindo governos municipais ao redor do mundo para discutir projetos rumo a um ambiente digital inclusivo e sustentável nas cidades. O município foi convidado pela rede Cities Coalition for Digital Rights, que é impulsionada pela ONU-Habitat e formada por mais de 50 cidades do planeta. Niterói é o único município do Estado do Rio a fazer parte da rede, que integra ainda cidades do Brasil como Curitiba, Maceió, São Paulo, entre outras. Nesta sexta-feira (20), Niterói foi destaque na reunião da coalizão. 

“Niterói vem trabalhando para superar os desafios com relação a direitos digitais, como a democratização do acesso às tecnologias, a transparência sobre dados, indicadores e inclusão digital das pessoas. Integrar a rede é interessante porque ela oferece potentes oportunidades de troca de experiências sobre a promoção de direitos digitais entre cidades. Estamos tendo aqui a oportunidade de assumir um protagonismo na coalizão”, disse o prefeito Axel Grael.

O diretor de Serviços Digitais da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão (SEPLAG), Daniel Gaspar, participou do painel “O que acontece nos territórios quando as cidades agem em prol de direitos digitais?”, que também contou com apresentações de Roterdã (Holanda) e de Toronto (Canadá). O servidor apresentou o Portal da Transparência de Niterói e os testes de usabilidade feitos para melhorar o acesso da população às informações, um estudo produzido a partir do Programa de Desenvolvimento de Projetos Aplicados (PDPA) da Prefeitura e da Universidade Federal Fluminense (UFF).

“A Prefeitura de Niterói é reconhecida por já ter conquistado diversos prêmios em rankings de transparência, resultado dos investimentos da gestão municipal no Portal da Transparência. O município também vem se destacando em ações de inclusão digital da população, com a transformação digital da gestão e o Portal de Serviços ao Cidadão. Com a participação mais ativa na rede, vamos trocar experiências com outras cidades, participar de consultorias, cursos de formação e opinar na definição das prioridades políticas e de serviços da rede”, explicou Daniel Gaspar.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo