Artesãs da Economia Solidária de Niterói estão na 15° edição da Rio Artes Manuais

Mais de 80 artesãs registradas na Casa da Economia Solidária Paul Singer e no Fórum de Economia Solidária de Niterói estão na 15° edição da Rio Artes Manuais, a maior feira de artesanatos da América Latina. A Casa Paul Singer é gerida pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Economia Solidária, órgão da Prefeitura de Niterói, que incentiva a economia solidária como forma de geração de renda e autonomia. Durante 5 dias, entre os dias 15 e 19 de março, serão expostas aproximadamente 450 peças de artesanatos diversos na feira.

O secretário municipal de Assistência Social e Economia Solidária, Elton Teixeira reforça o incentivo da gestão com a economia solidária.

“A participação de nossas artesãs nessa atividade é muito significativa. Essa é a primeira vez que a cidade garante a ida delas enquanto representação municipal. Isso demonstra o compromisso da nossa gestão com a economia solidária”, conta o secretário.

Durante os cinco dias de feira, as artesãs vão expor seu trabalho em diversos segmentos como utilidades, vestuários, acessórios, decoração e outros. A Rio Artes Manuais acontecerá até 19 de março no Centro de Convenções ExpoMag, na Cidade Nova, Rio de Janeiro. Com o tema “Faço Arte, Faço Parte”, o evento é direcionado para as questões de integração, acessibilidade e pertencimento, além de reforçar a importância do empreendedorismo e da expressão cultural. A proposta é aproximar a população da cultura artesanal de raiz, mostrando o significado e a importância da comercialização desse segmento no estado.

Casa da Economia Solidária Paul Singer – Criada em julho de 2019, o local é o primeiro centro público municipal de referência em economia solidária no Estado do Rio. O objetivo é que seja um espaço de acolhimento, formação, capacitação e orientação aos empreendedores da economia solidária, cooperativas e associações, que recebe trabalhadores de Niterói e de municípios vizinhos.

A Casa conta com um espaço de comercialização, onde diversos produtores podem expor e vender seus produtos feitos de maneira artesanal, como roupas, mel, sabonetes, itens de casa etc. Além disso, o local possui uma sala de atendimento psicossocial e uma área destinada ao Fórum de Economia Solidária, sendo gerenciada de maneira compartilhada, com recursos de convênio firmado com o Ministério do Trabalho/Secretaria Nacional de Economia Solidária.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo