EcoSocial: monitores participam de treinamento sobre o Colab na Prefeitura de Niterói

A Prefeitura de Niterói realizou, nesta terça-feira (18), um treinamento com os alunos do Programa Niterói Jovem EcoSocial, para que eles atuem como monitores. No encontro, o grupo conheceu melhor o aplicativo Colab – que permite ao cidadão indicar demandas, alertar necessidade de melhorias e acompanhar a resolução de seus pedidos – e os serviços da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (Seconser). A iniciativa é da Secretaria de Participação Social de Niterói, que administra o programa, em parceria com a Firjan.
A coordenadora de Comunicação da Seconser e gerente de relacionamento com o cidadão da Prefeitura, Mariah Araujo, explicou sobre os serviços da pasta, além de falar sobre o aplicativo Colab. De acordo com Mariah, a ação tem como objetivo tornar os monitores multiplicadores dos serviços em seus territórios. 

“Essa conversa com agentes que atuam nos territórios da cidade é muito importante porque ajuda a aumentar o alcance de iniciativas relevantes para aproximar a população da gestão. Esse é o caso do Colab, que permite que os cidadãos enviem solicitações, críticas e elogios, mas também que participem de consultas e acessem serviços públicos importantes, como o agendamento da vacinação contra a Covid-19”, ressalta a coordenadora. 

O aplicativo, que foi instituído em Niterói em 2014, conta hoje com cerca de 167 mil inscritos. Através dele, é possível participar de processos participativos digitais, como as consultas públicas, que permitem à população colaborar com a Prefeitura na construção de diversas políticas públicas. Além disso, o aplicativo permite agendamento de vacinação e de outros serviços e também há um espaço para reclamações. A média de resolubilidade dos problemas que chegam pela ferramenta por meio dos cidadãos é de cerca de 90%.

O secretário de Participação Social, Octávio Ribeiro, explicou que cada território tem um ou dois agentes de cidadania para fazer o acompanhamento dos alunos. 

“Essas ações têm por finalidade a capacitação desses agentes de cidadania, sobretudo nos temas que são pautas tão pertinentes aos territórios onde eles vão atuar. A ideia é que os agentes de cidadania também sejam agentes territoriais e tenham um link direto de encaminhamento dos serviços desses territórios para os equipamentos e órgãos públicos que possam ajudar a solucionar os problemas”, conta Octavio. 

Também participaram do encontro o subsecretário da Seconser, Marcelo Serieiro, e os diretores da pasta, José Carlos Alvarenga e Bruno Aguiar.

Sobre o EcoSocial – O Niterói Jovem EcoSocial faz parte do Pacto Niterói contra a Violência e do plano Niterói 450, que prevê investimentos de cerca de R$ 2 bilhões na cidade até 2024. A segunda edição do programa foi iniciada em novembro de 2022 e tem previstas atividades para 19 meses de formação profissional e social. As aulas acontecem de segunda a sexta-feira, sendo três dias da semana na unidade Senai Niterói Barreto e Sesi Niterói e dois dias em comunidades do município definidas no edital para a aplicação de ações na área de meio ambiente

Nesta edição, o EcoSocial contempla 500 moradores de 26 territórios da cidade, entre eles Bonsucesso, Beira da Lagoa, Boa Esperança, Jacaré, Rio do Ouro, Várzea das Moças, Maria Paula, Fazendinha, Praia Grande, Morro da Penha, Teixeira de Freitas, Caranguejo, Juca Branco, Coreia, Coronel Leôncio, Travessas, Nova Brasília, Buraco do Boi, Pátio Leopoldina, Morro da Ilha da Conceição, Boa Vista, São Lourenço, Vintém, Viradouro, Matos Coutinho e Zulu (Santa Rosa).

Fotos: Luciana Carneiro

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo