Escola Municipal João Brazil organiza Feira de Ciências

A Escola Municipal João Brazil, no Morro do Castro, sediou a sua Feira de Ciências, Geografia, Matemática, Educação Física e Tecnologias. O evento, que aconteceu dos dias 20 a 22 de junho, teve ampla participação dos estudantes, que desenvolveram e apresentaram diversos projetos sob orientação de seus professores e de outras iniciativas parceiras da Secretaria e Fundação Municipal de Educação. A feira visa incentivar em crianças e adolescentes o interesse pela prática e experimentação científica fora da sala de aula.

Na exposição, foi possível ver inúmeros trabalhos desenvolvidos pelos estudantes, com temas como: Robótica, Biologia, Matemática, Meio Ambiente, Saúde, Nutrição, Química e Arte. Também estiveram presentes projetos externos, com apresentações de recicláveis com a Companhia de Limpeza de Niterói (CLIN).  

A professora Vanessa Nunes, coordenadora de Matemática da Secretaria Municipal de Educação (SME), afirmou que a ação conseguiu reunir todas as áreas das ciências.

“Além da união, o evento foi muito bem recebido pela comunidade escolar e pelas pessoas do entorno. Acredito que outras unidades poderiam aderir a esta iniciativa, pois a feira é uma forma de mostrar o conhecimento de maneira diferenciada, aplicada a inúmeras atividades da vida humana. Isso demonstra que as lições de ciências vão muito além da sala de aula”, explicou Vanessa Nunes.

A Feira de Ciências teve destaques entre os alunos. Um deles foi a estudante Mariana Gonçalves, que explicou aos colegas inúmeras características da Mata Atlântica, bioma que está presente no município de Niterói. Ela explicou e mostrou sementes, características das folhas, além de propriedades e usos das plantas deste tipo de vegetação. Quando perguntada se gostaria de seguir carreira na área das ciências biológicas, Mariana desconversou e afirmou: “Eu prefero ser professora de Matemática”.

A aluna foi orientada pela professora de Biologia da unidade, Sheila Franklin. Ela afirmou que o grande incentivador do projeto foi o Parque Estadual do Bojador, que é próximo à escola. 

“Neste parque, está acontecendo o replantio de mudas da Mata Atlântica. Os estudantes foram até o parque e não reconheceram as espécies. Para acompanhar este movimento de reflorestamento, a escola vai plantar em seu pátio mudas de goiabeira, pitangueira e jacarandá”, disse a professora de Biologia.

Oficina de Hortas – Além da feira, em parceria com a Coordenação em Sustentabilidade, Esporte e Saúde (CESESS) da SME, a escola recebeu plantios para a realização da Oficina de Hortas. O objetivo da oficina é prover às unidades escolares as chamadas “PANCs” (Plantas Alimentícias Não Convencionais). São plantas que fazem parte da cultura alimentar da população, como a bertalha e a taioba, e que precisam ser valorizadas do ponto de vista cultural e nutricional. 

Para iniciar a horta nesta unidade escolar, o professor João Ricardo Assis criou um módulo de plantio vertical, cujo objetivo é plantar o maior número de gêneros possível sem que isso ocupe uma área muito grande. O módulo possui um sistema de irrigação que conduz a água até as mudas, o que garante melhores condições naturais para o crescimento das mudas.

João Ricardo afirmou que este projeto é a culminância de um projeto que começou a ser desenvolvido um ano antes, no pátio da Casa Amarela, sede da Secretaria Municipal de Educação. 

“O módulo de plantio vertical foi instalado primeiramente lá, sendo testado por um ano. Agora, este módulo pode ser reproduzido e expandido para as unidades escolares da Rede”, concluiu o professor.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo