Phil Mullen, especialista em inclusão musical, dá aula para a equipe do Programa Aprendiz Musical

Ontem, quinta-feira, 6 de julho, foi dia de Masterclass de capacitação para coordenadores e professores do Aprendiz Musical, programa mantido pela Prefeitura de Niterói – por meio da Secretaria de Ações Estratégicas e Economia Criativa, em parceria com a Secretaria de Educação.

A palestra “A educação musical e as práticas reflexivas no ambiente escolar”, ministrada pelo professor irlandês Dr. Phil Mullen – um dos maiores especialistas mundiais em inclusão musical e música comunitária –, foi a última de capacitação deste semestre. Na apresentação, Phil destacou a importância da reflexão para os educadores, que devem se perguntar: ‘O que estou fazendo? Por que estou fazendo? E como posso melhorar?’

Foi abordada a importância da prática reflexiva no processo de inclusão na sala de aula, em um mundo onde a exclusão é dominante. “Existe um esforço para promover a inclusão, num mundo onde a exclusão é ‘normal’. Quando eu fui para a escola, tinha uma linha e uma cultura. Na Irlanda há uma rivalidade entre protestantes e católicos. Eu sou do lado católico e precisei fazer uso da prática reflexiva para não odiar quem eu fui treinado a odiar. É um processo. É uma luta interna necessária”, diz Mullen.

Dr. Phil trabalha com a concepção da UNESCO sobre inclusão, que a define como oposta a exclusão. “Parece uma definição simples, mas não. Julgamos as pessoas desde o início. Nos dividimos uns dos outros, mas podemos mudar isso para a próxima geração”, afirma. Ele lembrou, ainda, que com a pandemia muitas crianças desenvolveram ansiedade e outros transtornos.

A UNESCO define, entre outras coisas, que “a pedagogia deve acolher os alunos na comunidade educacional e ajudá-los a desenvolver as habilidades para serem inclusivos e apreciarem a dignidade de todos os outros. Uma pedagogia sem inclusão enfraquece a educação como bem comum e mina a possibilidade de um mundo em que a dignidade e os direitos humanos de todos sejam respeitados…”

Dr. Phil realizou, ainda, dinâmicas de grupos com os educadores do Programa Aprendiz Musical e, para finalizar, sugeriu que o professor passasse a escrever em um diário, por 30 minutos, explicando como foi a aula com seus alunos, destacando três pontos importantes a serem descritos para reflexão: ‘o que aconteceu?’ ‘Como se sentiu?’ ‘O que faria de diferente?’

João Victor Reis, coordenador pedagógico do Aprendiz, salientou a importância deste Masterclass para a equipe: “o foco foi principalmente para os professores que são os que lidam diretamente com os alunos em sala de aula. O intuito é justamente esta reflexão, o olhar para dentro, para nos entendermos como professor e deixar um pouco de lado as questões pré-programadas. Perceber também que nem todos os alunos têm o mesmo processo de aprendizado. Essa capacitação específica foi justamente para isso, para trazer essa reflexão para os professores e, assim, aperfeiçoarmos o formato das nossas aulas e oferecermos um aprofundamento melhor da educação musical”.

O evento, uma parceria com a Rede Brasileira de Prática Musical Reflexiva, aconteceu no auditório do Caminho Niemeyer, no centro de Niterói, e contou com tradução.

Sobre Dr. Phil Mullen

 Trabalha, há mais de trinta anos, desenvolvendo música com crianças e jovens em situação de vulnerabilidade. Trabalhou 8 anos na Irlanda do Norte, usando a música como uma ferramenta de paz e reconciliação. Realizou workshops e seminários em 27 países da Europa, América do Norte e do Sul e Ásia.

Foto: Thiago Côrtes

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo