Paulo Gustavo

‘RIR É UM ATO DE RESISTÊNCIA’

Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros nasceu em Niterói no dia 30 de outubro de 1978. Predestinado ao sucesso, o ator, humorista, diretor e apresentador sempre se destacou pelo bom humor que contagiava todos à sua volta. O talento nato acabaria se tornando paixão e profissão. Formado na Casa de Artes Laranjeiras (CAL), celeiro renomado de grandes atores, Paulo Gustavo logo ultrapassaria as fronteiras da Ponte Rio-Niterói e do Brasil.
Escreveu, montou e estrelou nos palcos “Minha Mãe é Uma Peça”, que, em pouquíssimo tempo, foi um estrondoso sucesso de crítica e público, lotando teatros em todo o Brasil. O espetáculo virou uma trilogia, e Dona Hermínia, icônica personagem inspirada nas mulheres fortes de sua família, como Paulo sempre frisou, ganhou as telas de cinema. Assim como a cidade de Niterói.

Paulo Gustavo sempre expressou seu grande amor por Niterói, que teve diversos pontos como locação nos três longas-metragens. Em entrevistas, fazia questão de falar da cidade onde nasceu, foi criado e tanto amava. “Em Niterói todo mundo se conhece”, dizia. E é verdade. Nós, niteroienses, temos não só orgulho, mas a sensação de que Paulo Gustavo era um amigo próximo, um primo, e, mais do que isso, que Dona Hermínia era um pouquinho mãe de todos nós. E era.

Além de espalhar alegria, Paulo Gustavo foi além. Virou símbolo de luta, de amor. Quebrou rótulos e preconceitos e combateu a intolerância. Superou paradigmas. Mais do que um gênio, Paulo Gustavo foi também filho, irmão, marido, pai, amigo. Além de sua obra, deixa um legado infinito e exemplar de amor ao próximo, solidariedade, generosidade e alegria, muita alegria.

Nada mais justo do que a cidade de Niterói retribuir, na forma dessa singela homenagem, ao batizar de Paulo Gustavo uma das ruas mais importantes da cidade e eternizar um de seus filhos mais ilustres, que nos deixou no dia 4 de maio de 2021.

Déa Lúcia, Júlio, Juliana, Thales, Romeu e Gael, Paulo Gustavo se foi, mas tenham certeza de que vocês agora contam com uma família gigante, com mais de meio milhão de niteroienses que, cheios de orgulho, poderão agora dizer: moro na Cidade Sorriso, na cidade da Rua Ator Paulo Gustavo.

“Rir é um ato de resistência. Contra o preconceito, a intolerância, já existe vacina: é o amor!”
Paulo Gustavo (30-10-1978 :: 04-05-2021)

Texto: Marcelo de Macedo Soares

Botão Voltar ao topo